Ocho Ocho | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Ocho Ocho

Só perdemos a Copa União de 1988 porque terminou em 1989…

 

Clássico! Comecei a escrever esse post numa folha solta de papel e com um lápis na mão…

Sempre achei que escrevia assim, digo, prefiro escrever dessa forma por medo de errar… Na verdade achar isso é o erro! Primeiro, porque eu nunca apago nada escrito a lápis. Segundo, gosto de escrever assim por causa da sensação tátil do lápis rasgando o papel, o som das letras se formando e porque foi assim que aprendi a escrever:  lápis e papel – com exceção das vezes com caneta Bic (meu segundo modo preferido), ainda em casa, pequeninho e sozinho, começando com um mal traçado C… Pedindo ajuda a um e a outro, até formar meu nome, antes de estar matriculado na escola e ter lá a chance do conhecimento ganhar corpo, forma e volume (#Gracias Professora Vilma!).

 

(na vida eu seria o Tony Carrado?)

 

Escrever a mão cansa, especialmente deitado (como estou agora) e quando se tem teclas pra facilitar o trabalho. Isso é só mais um sinal de que as coisas mudam com o tempo, menos as emoções, pois elas são como um círculo. Já o tempo, por sua vez, tem uma trajetória linear, uma reta.

O ano de 1988 foi uma ano muito feliz pra mim. Eu tinha oito anos e até hoje lembro como o ano mais feliz que já vivi. Tinha minha Caloi Cruiser Safari vermelha; Finalmente joguei futebol – sim, pasmem: aprendi a andar de bicicleta antes de aprender a jogar futebol)… Muitas coisas!

Só não foi perfeito por causa do time do Bahia. Por isso eu tenho um prazer quase sádico quando o Inter vence o EC Bahia! É como comer uma cesta de pasteis fritos de carne acompanhados por uma Coca-Cola em garrafa de vidro (litro de preferência). Pode não ter mais os quatro trapalhões fazendo suas estripulias na TV num final domingo… Mas a sensação é muito boa.

Já 2018 não está sendo um ano feliz. A poucos dias um tio meu, muito próximo e a quem considero como um pai, descobri que está com câncer – a nova gripe, difícil conhecer alguém que não tenha um conhecido ao menos que teve ou tem a doença. Ele quem me levava para os campos de várzea para assistir aos jogos em que meus primos atuavsam. Apesar de ser gremista, muito provável que por causa do filho mais velho dele que me tornei colorado. O ano de 2018 não está sendo manso…

Assim como eu, o Inter tem uma missão BEM clara e definida em 20189: Sobreviver!

Começamos bem… Começamos muito bem!

Agora só faltam 41 pontos… HaHaHa

Sabe, chega a ser engraçado um clube que em alguns anos chegou a lucrar mais que o Manchester United em venda de jogadores (olha a causa do problema!) estar nessa situação. Mas um clube que troca Pato por Pinga… Só bebendo pra aceitar.

Exemplo de gestão? Exemplo de gestão melhor que do Inter é o da minha bola esquerda que não atrapalha a bola direita. No Brasil quando faz-se o básico já se propagandeiam como os novos gurus. Olhem este exemplo:

SOS Malibu, Versão República Tcheca

Vocês já devem ter percebido que sou fã do Senna. Pois então… por conta disso eu encontrei, recentemente, uns posters sensacionais na internet. Resolvi comprar dois modelos, nada muito caro, mais barato que uma mensalidade do Inter e MUITO mais barato que o Paulão. O único contratempo é que eles estão vindo da República Tcheca – país daquela região de mulheres nada feias. Pois bem… Como o tracker mostra ali acima saindo do leste europeu para chegar ao sul do Brasil levou seis dias. Já para sair da república de Curitiba e chegar em Vacaria a estimativa é de, pasmem, QUARENTA DIAS! Será que estão esperando pra vir alguma tcheca me entregar em mãos? Se estiverem, por favor, alguém tem de ir ajudar essa mulher que ela deve está vindo a nado da Europa!

Provavelmente porque não gerou tributação (que gera tarifinha dos correios, também) deve ter ficado jogado em algum canto do armazém e quando sobrar tempo eu devo receber minha encomenda. A parte mais triste disso tudo, fora meus comentários espirituosos, é que a gente perdeu a força de se indignar. Achamos normal todo descalabro, incompetência e desculpa esfarrapada. Quer seja na vida cootidiana, quer seja num time formado em sua maior parte por jogadores medianos a preço de estrelas. Precisamos nos revoltar, porque no dia que perdermos isso teremos apenas meia vida, não uma vida plena.

Pra cima dos malandros!

Cristian

Author: Cristian

Brasileiro! Não desiste nunca...

Share This Post On