Inter Camisas – Brasileiro de 1979

Facebooktwittergoogle_plusredditmail

Pra torcedores com até 40 anos de idade como eu, determinadas façanhas do Inter só puderam ser conhecidas pelo relato de parentes mais velhos, ou através dos livros. Uma das minhas lembranças mais antigas data de 1979, quando na tenra idade de cinco anos, saí com todos meus irmãos a bordo de um Dodge Dart pelas ruas de Porto Alegre num domingo diferente, tremulando uma bandeira colorada e buzinando sem parar. Eu ainda não sabia, mas naquele dia o nosso time havia conquistado definitivamente o Brasil com um título que depois de quase quatro décadas ainda insiste em desafiar a todos: campeão brasileiro invicto!

O primeiro semestre colorado foi desanimador, com a derrota no regional e uma humilhante terceira colocação. A contratação do centroavante Bira foi a única de relevo para a disputa do certame nacional. O azar foi tamanho que o nosso 9 lesionou-se logo no início da competição. Mas aos poucos, com o andamento do Brasileiro, percebia-se um viço e uma combatividade que poderiam levar o Internacional longe. Prova disso foi Valdomiro jogando lesionado uma partida decisiva contra o Cruzeiro no Mineirão, vitória nossa por 3×2 e com gol do ídolo. Além disso, se o time principal não exibia a exuberância de 1976, tinha um meio-campo brilhante: Batista, Falcão (que sem Carpegiani e Figueroa, veio a se tornar a referência técnica maior daquele Inter), Jair e Mário Sérgio.

As finais contra o Vasco da Gama foram mais tranquilas do que ameaçavam ser: mesmo sem Falcão e Valdomiro, jogamos no Maracanã como se fosse nossa casa. O ponteiro direito Chico Espina fez a partida da sua vida e vencemos por 2×0, o que nos permitiu administrar uma vitória sem maiores percalços em Porto Alegre por 2×1. Tricampeões nacionais! No cartel 16 vitórias e sete empates, numa campanha até hoje (e provavelmente pra sempre) inédita no futebol brasileiro. Não por acaso, fomos eleitos por jornalistas de todo país como o time da década de 1970, trazendo pro nosso estado os olhos dos amantes de futebol de todo lugar. O Rio Grande do Sul adquiria relevância futebolística definitivamente.

Essa bela camisa da Adidas foi usada naquela campanha por Mário Sérgio, o Vesgo, só contratado naquele ano por grande insistência de Falcão junto aos dirigentes. Sua atitude se provou acertada, pois o camisa 11 foi fundamental naquela campanha atuando como falso ponta-esquerda; alguns anos depois o próprio Mário presenteou seu amigo o goleiro Bagatini (também participante daquela conquista) com esta camisa, que recentemente foi adquirida para meu acervo.

i441979 i451979 i461979 i471979 i481979                                      

Facebooktwittergoogle_plusredditmail
  • SchroderEUA

    Flavio o brasileirao de 79 foi meu primeiro campeonato assistindo o Inter. Cheguei no brasil em setembro de 79 quando tava começando. Minha estreia foi contra o figueirense numa dia chuvoso com beira rio quase vazio. Ganhamos de 1 a 0 num gol chorado.

    Mas uma “contratacao” vital prquele time invicto foi a subida do Mauro Galvao entao com 17 anos, da base pro time titular. Ele estreiou no brasileirao e tomou conta da posiçao. Ele foi uma peça FUNDAMENTAL para aquela conquista, assim como hj precisamos de uma defesa boa, galvao entrou e junto com o ja senhor Mauro Pastor fizeram uma dupla paredao.

    Ps: naquela epoca peguei autografos de varios Mario sergio, falcao , batista, e varios outros. Tinha num papelzi ho branco por muito tempo mas depois sumiu. Logo eu que custumo quardar coisas bem esse papel sumiu. Merda.

    • Tens razão, Galvão foi fundamental naquela campanha. Ali ele já mostrou que seria um zagueiro de exceção; mas ouço pessoas dizendo que o Andre Luiz era ainda mais técnico do que ele.

  • SchroderEUA

    Por sinal Flavio, 79 nao foi o primeiro ano que a camisa do Inter tinha marca de fabricante na frente, nesse caso adidas ou ja tinha em 78?

    • Schroder, a Adidas entrou no mercado brasileiro (e no Inter) em 1977, em algum momento do segundo semestre daquele ano.

  • Marcelo Romanini

    Legal demais esses posts das camisetas, com história e tals. Camisa bonita assim limpa sem porcaria pra manchar a beleza do vermelho. Post histórico devia ser fixo, uma vez por semana, nem se for uma historinha de 6 linhas.

  • Adriano Rech

    me da um orgulho danado ler essas coisas sobre o Inter, mas também me da um enorme desgosto ver como paramos no tempo em se tratando de canecos nacionais.

    dinheiro não falta, ou não faltava, aliás se é pra continuar desse jeito melhor é que falte mesmo, talvez sem dinheiro parem de trazer tranqueiras bixadas.

    • Alexandre Werner RS

      É, 1980 o Inter era o maior campeão do Brasileirão, estava na final da Libertadores e no nas etapas finais do Brasileirão também.
      Desde 67 ficava ao menos entre os 5 primeiros colocados do brasileirão, com exceção de 1977.
      Tinha um dos maiores e mais modernos estádios do Brasil, sem falar em que tinha também alguns dos melhores jogadores da America latina.
      E incrivelmente, uma patota de dirigentes conseguiu jogar o Inter por mais de 20 anos numa desgraça danada.
      O poder de destruição da política é gigante.

      • SchroderEUA

        Pois é ate o meio de 1980 o Inter tava no lugar certo…no topo…acabara de ser Tri Invicto…tava na Final da Libertadores….entre os 4 Finalistas do Brasileiro….mas ali começou a politia de vendas , vendendo o Falcão para o Roma…e as coisas nunca mais foram as mesmas.

        • Rodrigo Noia

          boss, seria dificil fazer um texto sobre ” A VERDADE DO FUTEBOL”, onde fosse explicado o porque dessas negociatas e maracutaias ano apos ano?ninguem se interessa nisso?ir atras de fontes?alguem que queira abrir o bico, jogar no ventilador, pois ate hoje so se fala que existe isso, exista aquilo, mas nao tem nada concreto, e é onde eles se apegam para se defender

        • Joceli Machado

          Asmuz é o nome do responsável pelo fim do grande Inter da década de 70.

          • Adriano Rech

            Asmuz era metido com carreteiras.

  • Janquiel Covcewecz

    E não é fácil encontrar essas camisas. Comprei uma do Valdomiro bem parecida.

  • Janquiel Covcewecz

    Pra ano que vem não vejo nenhum “9” mais preparado para o time que o Lisandro. Contratar? Quem? Acho que tem que aproveitar a garotada da base, mas tem que manter o Lisandro. O cara ta aqui, ta indo bem… a não ser que ele queira um salário astronômico por mais de 2 anos de contrato, aí acho que não vale.

    • Lorpa

      Concordo, desde que o contrato seja de um ano. Aí o cara se puxa pra jogar alguma coisa. Agora, se fizer de dois anos ou mais, é mais um que se atira nas cordas.

      Esses contratos longos mataram o Inter nos últimos anos. Mais do que qualquer outra coisa.

      • Pedro (henri_droque)

        Não acho que o Lisandro seja o tipo de jogador que se atira nas cordas…

    • Júnior Ribas Bochi

      lisandro funciona dentro da área, é camisa 9 a moda antiga, aliás, todos os centroavantes argentinos tem essa característica desde sempre, batistuta tinha um estilo parecido, cabeceador e trombador …

      agora, tanto aguirre quanto o argel insistem em escalar um jogador de outra época como centroavante “moderno” …

      é quase como pegar aquele buldog de 15 anos e querer ensinar ele a correr atrás do bandido, quando na verdade ele fica se fazendo de morto para pegar o ladrão a hora q entrar no pátio kkkkk …..

      e na base ñ sei o que temos, mas se dependermos do bruno baio, tem q contratar urgente …

      • Elias Maragato

        Quantos jogos ou minutos você viu do baio? E do bruno gomes, e outros mais?

        • Pedro (henri_droque)

          Viu 5 minutos do Baio e já descartou o guri.
          Tem Bruno Gomes, Aylon e Maurídes.

          • Júnior Ribas Bochi

            mas olha, tomara q eu esteja enganado, mas aquele bonecão de posto pregado no chão ñ tem condições … e outra, o Inter é um time que precisa de um jogador do mesmo nível … tem que chegar uma solução, do contrário ficamos com o moura e o lisandro mesmo ….

            aylon e maurides são apostas e podem dar algum resultado daqui a um ano ….

            bruno gomes sei lá, já estava negociado, nem considerei ele ….

          • Pedro (henri_droque)

            Pro ataque ano que vem Aylon e Maurídes estão de volta e ainda tem o Bruno Gomes.
            Estes, mais Sasha, Valdivia e Lisandro ta de bom tamanho.

          • Paulo Roberto

            deve ter mandado o guri treinar no hipódromo.

    • Pedro (henri_droque)

      Concordo, tem que renovar com o Lisandro o quanto antes, até para evitar concorrência com outros times brasileiros…

      • Joceli Machado

        Também concordo, o que não dá para aguentar é mais um ano com NABAel Moura vestindo a camisa do Inter. Doem esta naba nem que seja para o Íbis.

        • Pedro (henri_droque)

          Verdade, ninguém merece o mula manca.
          Espero que saía antes do final do contrato. Quem sabe o Abel não nos da essa força?

  • Lorpa

    http://futdados.com/pontos-corridos-campanhas-acumuladas/

    Inter é o terceiro time em pontos acumulados desde o começo do campeonato por pontos corridos. Sinal que tá faltando aquele “algo mais” pra finalmente conquistar um título. Eu diria que o foco em “copas” acaba atrapalhando o colorado. Questão de foco.

    • Será que conseguimos um brasileirão antes dos 1000 pontos?

  • Novo colaborador no BV? Bem-vindo!

  • Mari

    Batista deve estar se remoendo, alem de ser azul, ele provou ser muito teimoso quando alegou ilegalidade no gol do Lizo Lopes. A capa da seção de esportes da zh mostra inequivocamente, através de uma foto bem batida, que a bola ao retornar bate no rosto do Lizo, mais especificamente na região do nariz. Seus bracos estão rentes ao gramado, o que inviabiliza totalmente a tese do teimoso comentarista.

    • Luciano

      Bah, tava olhando a transmissão, que nojo desse loco

      • Mari

        E pior foi que ele não desistiu de falar que o gol foi ilegal. Durante todo o jogo ele frisava e a transmissão repetiu o lance várias vezes, como que para convencer quem assistia. Mas a foto e bem clara.

        • Lorpa

          Os colorados assinantes do PREMIERE deviam se manifestar. Eu já enviei e-mail.

          • Mari

            Certo, vou fazer isso também. Eu já fico na bronca pq os jogos do Inter quase nunca são em HD, e a imagem não e boa, mas passa. Mas ter que aguentar comentarista que torce para o time rival e demais. Quando eram jogos da la eu ficava p… Pq quando era contra time barasileiro eles falavam como se o Inter não fosse brasileiro TB. Depois a gente que e separatista, ne.

          • Elias Maragato

            O hd dos jogos do inter são nos canais 220 e 221 que a sky insiste em dizer que não assino! Só quando passa no 219 é que consigo.
            Cansei de rec lamar, mas não consegui nada. Só desassinando.

    • SchroderEUA

      Pela milessima vez…BATISTA NÃO É GREMISTA. Talvez nao seja mais colorado, mas era Colorado desde sua infancia, se criou no Inter, era colorado. Hoje ;e apenas jornalista e não torce pra nenhum dos dois.

      • Mari

        Pode ser impressão minha, mas ele nunca perde a oportunidade de malhar o inter. Eu não gosto quando ele e comentarista, e sábado ele insistiu demais que o gol fora ilegal.

        • Alexandre Werner RS

          Batista é anti dupla greNal, pra ele Inter e gremio estão sempre errados. Não importa no que.
          Poucos caras de Rio e SP são tão chatos igual ele.

      • Pedro (henri_droque)

        Sou a favor de colocar o Batista na lista Jihad do BV.

      • Paulo Roberto

        só torce contra o inter.

      • Se fosse gremista ao menos ficaria mais fácil entender algumas atitudes dele.

  • Mari

    Boatos de que o são Paulo, se confirmada a saída do Osório, teria grande interesse pelo Roger. Sera que o pepe guardiroger segura essa?

    • Igor Morais [SCI] – F9 ETERNO

      Roger disse que nao sai do Gremio sem ganhar um título, ou seja, vai permanecer por muitos anos ainda no imortal. O Sao Paulo que busque outro treinador.

      • Mari

        Vai que musa do brasileirão seja título pra ele. Kkk

        • Igor Morais [SCI] – F9 ETERNO

          kkkkkkkkkkkkkk

      • Pedro (henri_droque)

        Mas já ganhou dois.
        greNAL 5X0
        Inter eliminado pelo Tigres.

  • Mari

    Para os saudosistas, no YouTube tem aquele gol do Falcão, em 76, que ele tabela de cabeca, não sei se e com o fogueiroa, não tenho certeza, contra o atlético mineiro, aos 45:50. A narração e do Haroldo, cara eu me arrepio com aquele adivinhe. E imperdível.

    • SchroderEUA

      Sim, Atletico MG semi final do Brasileiro. Sem aquele gol nao tem o BI contra o Corinthians uma semana depois.

      • Mari

        Que coisa linda aquele gol, eu era bebe naquela época, mas meu pai falava muito nesse time.

    • Alexandre Werner RS

      Acho q era o escurinho q tabelou com o Falcão.
      Deve ser um dos gols mais bonitos da história do beira rio.

      • Mari

        Concordo.

      • Elias Maragato

        Escurinho

      • [SCI]Gabriel

        Dadá fez o lançamento

        • SchroderEUA

          Figueroa fez o lançamento…dario cabeceou uma vez e escurinho e falcao tabelaram o resto…putz vcs tao mal informados pra caralho…isso que tem video !

          • André Cabral

            Eu tava no estádio (tinha 11 anos) e vi o gol exatamente no mesmo ângulo do vídeo do YouTube (minha cadeira ficava acima da cabine).
            Figueroa lançou e o Dario levantou de primeira (no único passe de primeira que ele acertou na vida!) pra cabeça do Escurinho e aí se deu tabela entre ele e o Falcão. E o mais foda é que foi aos 45′ do segundo tempo!!!

  • Igor Morais [SCI] – F9 ETERNO

    F5

    • Mari

      To com cólica de tanto rir.kkkkkkkkk

    • Kikomann

      Hahahaha ótima!

    • Vitoresco

      Ri muito, iuaehiehaiu

  • Lorpa
    • Pedro (henri_droque)

      Ta pegando bem o guri.

      • Lorpa

        Olha o olhar apaixonado da moça.

        • Pedro (henri_droque)

          Essa tirou a sorte grande…

    • CastorColorado #tafodaserbeata

      Como diria Aguirre, “pêtacular”

    • Paulo Roberto

      futebol é legal por isso….o cara é bonito e só pega mulher bonita.

  • [SCI]Gabriel
    • Pedro (henri_droque)

      E tem louco que acha que o piá não é tudo isso…
      Primeiro ano como profissional já com estes números.

      • Igor Morais [SCI] – F9 ETERNO

        E olha que entrou num time com muitos problemas e se firmou. Tem muita personalidade…

      • Rodrigo Cabelo

        Quem? Dê nome aos bois!

  • Pedro (henri_droque)

    Não é só nós que gostamos de tomar gol de ex-jogadores do clube.

    • Corneteiro Realista

      Mas somando todos campeonatos de pontos corridos aposto que o Inter tá em primeiro disparado…

  • Adriano Rech

    Uma fábula de improdutividade
    por Marcos Mendes

    João é inteligente e nasceu numa família de classe alta. Estudou em boas escolas e entrou para uma universidade pública, gratuita, no curso de Engenharia. Formado, viu que os melhores salários iniciais de engenheiros estavam em R$ 5 mil. Fez concurso para um cargo de nível médio num tribunal: salário de R$ 9 mil mais gratificações, aposentadoria integral, estabilidade, expediente de seis horas. O contribuinte custeou a formação de um engenheiro e recebeu um arquivador de processos sobrerremunerado. Amanhã João estará em frente ao Congresso, com seus colegas, todos em greve por aumento salarial. Não terá o dia de trabalho descontado nem se sente remotamente ameaçado de demissão.
    Pedro não tem muito talento intelectual. Mas sua família pôde pagar uma boa escola, o que lhe garantiu uma vaga num curso não muito concorrido em universidade pública. Carente de habilidades acadêmicas, Pedro não se adaptou e mudou de curso duas vezes, deixando para trás centenas de horas-aula desperdiçadas e duas vagas que poderiam ter sido ocupadas por outros estudantes que jamais terão acesso àquela universidade. Foi fácil desistir dos cursos, pois Pedro nada pagou por eles.

    Após oito anos na universidade, Pedro finalmente se formou em Biologia. Sonha em ter um emprego igual ao de João. Entrou num cursinho preparatório para concursos públicos. Lá conheceu centenas de jovens formados em universidades públicas que, em vez de irem para o mercado de trabalho aplicar os seus conhecimentos, estão em sala de aula decorando apostilas para conseguirem um emprego público.

    Jorge, o dono do cursinho, é um brilhante advogado que poderia contribuir para a sociedade redigindo contratos empresariais. Mas descobriu que ganha mais dinheiro preparando candidatos ao serviço público.

    Um dos professores do cursinho de Jorge é Manuel, que também abandonou sua formação universitária e mudou de ramo. Ao perceber que jamais exercerá a profissão original, ele pediu desfiliação do respectivo conselho profissional.

    Mas não consegue, porque Márcia, funcionária daquele conselho, tem como missão criar todo tipo de dificuldade às desfiliações e manter em dia a arrecadação compulsória. Manuel desistiu e vai pagar a contribuição pelo resto de sua vida profissional, ainda que não se beneficie em nada e pouca satisfação seja dada pelo conselho profissional acerca do uso desse dinheiro.

    As limitações acadêmicas de Pedro o impedem de ser aprovado em concurso público. Ele vai ser um medíocre professor numa escola de ensino fundamental de segunda linha (pública ou privada), oferecendo ensino de baixa qualidade às novas gerações das famílias que não podem pagar por uma escola melhor. Pedro só conseguiu essa vaga porque há uma reserva de mercado: por lei, as escolas de ensino fundamental só podem contratar professores com diploma de nível superior. Fosse permitido contratar universitários, diversos graduandos em Biologia mais talentosos e motivados que o diplomado Pedro estariam em sala de aula, oferecendo boas aulas às crianças.

    Antônio é tão brilhante quanto João. Daria um excelente engenheiro, mas nasceu em família pobre e estudou em escola pública. Teve professores limitados, no padrão de Pedro, e a desorganização administrativa da escola piorava as coisas: muitas vezes não havia professores em sala. Falta com atestado médico não dá demissão.

    Antônio até conseguiu passar no vestibular de Engenharia em universidade pública, pelo sistema de cotas, mas sua formação deficiente em Matemática foi uma barreira intransponível. Abandou o curso, deixando mais horas-aula perdidas e mais uma vaga ociosa na conta dos contribuintes.

    Antônio, porém, é empreendedor. Não se abalou com o insucesso universitário, aprendeu a consertar eletrônicos por meio de vídeos no YouTube. Montou um pequeno negócio de manutenção de smartphones e computadores. Seu talento poderia torná-lo um grande empresário. Mas para crescer ele precisa transferir sua empresa do regime de tributação Simples para a tributação normal, pagando impostos muito mais altos, porque o governo precisa de muito dinheiro para pagar altos salários, para custear a universidade gratuita que desperdiça vagas e para sustentar escolas públicas que não dão aula, entre outras despesas. Mesmo assim, o governo permanece em déficit e toma empréstimo para se financiar, aumentando a taxa de juros. Com impostos altos e crédito caro, Antônio prefere manter seu negócio pequeno. A grande empresa e seus empregos morreram antes de nascer.

    Chico é um líder talentoso. Dirige uma central sindical que congrega os sindicatos dos companheiros do Judiciário e dos professores, entre outras categorias. Chico está em frente ao Congresso Nacional apoiando a greve de Pedro por melhores salários. Faz um discurso contra os neoliberais, que só pensam em cortar gastos públicos e arrochar os trabalhadores. Chico não tem muito do que reclamar (embora, como líder sindical, a sua especialidade seja, justamente, reclamar): além da remuneração paga pelo sindicato (e custeada pelo imposto sindical, cobrado obrigatoriamente dos contribuintes), ele está aposentado pelo INSS desde os 52 anos de idade. Até o fim da sua vida receberá muito mais do que contribuiu para a Previdência.

    Nenhum dos personagens acima citados tem comportamento ilegal. Eles jogam o jogo de acordo com as regras que estão postas. O erro está nas regras. Mudá-las requer superar as dificuldades das decisões coletivas. Não mudá-las implica continuar com talentos profissionais e dinheiro público mal alocados, empregos improdutivos, potenciais inexplorados, gasto público excessivo, oportunidades perdidas, incentivos errados. Uma fábula de improdutividade.

    *Marcos Mendes tem graduação, mestrado e doutorado em economia, custeados pelos contribuintes, em universidades públicas. Não se anuncia como ‘economista’, pois não é filiado ao conselho regional de economia e não quer ser processado por isso. É servidor público bem remunerado.

    • Marcos AM

      Sou servidor do Judiciário. Ganho, bruto, 10.000,00 (com função comissionada), e fico com 6000, líquidos no contra-cheques.
      Quando estávamos no governo FHC, com suas atitudes anti-trabalhistas, a oposição nos apoiou com unhas e dentes em greves, e conquistou de muitos, nossos votos. Agora querem que o judiciário não lute por seu direito (manutenção anual do poder de compra, garantido constitucionalmente). Pois não tem importância maior. Pois agora não tem direito, são fardos. Afinal, são intelectualmente menores e passaram por boas escolas. Antes eramos os trabalhadores da nação. A força que movia a Justiça. Hoje os hipócritas querendo se beneficiar enquanto outros sofrem.
      Enquanto barrarem o direito de alguns, tentando achar privilégios, não resolverão os problemas de outros. Pois ninguém no judiciário quer que os engenheiros, militares e outros profissionais tenham remunerações ruins, queremos apenas o que nosso por direito, e lutamos, para que o direito seja igual para todas as profissões. A Lei que foi vetada tramita a nove anos no Congresso. A incompetência político Administrativa e legislativa a fez surgir só agora, numa crise que não é culpa do funcionalismo. É dos péssimos investimentos do setor público, que não criaram prosperidade e desenvolvimento, apenas um pais de burocratas e comerciantes que pouco produzem, para muitos que passara a ter poder de compra sem contrapartidas para o estado. Por usurpação da economia pelos propineiros de todos os municípios, estados e União.
      Otimizar os gastos do Estado não implica reduzir direitos dos trabalhadores, mas reduzir os gargá-los e buracos causados pela corrupção, pela falta de fiscalização e pessoas honestas em quantidade suficiente para tapar os valos dos corruptos ativos e passivos. Mas, para a mídia globalina, interessa que o Estado tenha dinheiro, sobre para pagar propagandas bestas na televisão, e para os corruptos ligados a ela que também se aproveitam do falho sistema de controle do governo brasileiro.

    • Alexandre Werner RS

      Cara, um resumo do Brasil de hoje.
      Demais, valeu por compartilhar.

    • vamointer

      legal, mas diz aí uma solução?

  • Diego J

    ZH Inter‏@zh_inter
    Conselho do Inter aprova pedido de suplementação orçamentária

    • Rock Secco

      Com ressalvas? rsrsrss

  • Adriano Rech
    • Marcos AM

      MUito legal o texto.

  • Éric Bernardon

    Final de semana tem inter e atlético-mg? Tenho uma certeza, a zaga do atlético vai dar um gol pro Lisandro.

  • Paulo Dias

    O Inter poderia aproveitar a parada pra trocar o Argel pelo CJR. Isso criaria um fato novo e com certeza nos daria a classificaçāo.

  • Éric Bernardon

    Sério que a crise da vez é um twitter da Andrade Gutierrez? O jornalismo esportivo podia falar sobre tanto assunto…

Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com