Desafio | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Desafio

Amanhã, sexta, jogam Inter e Payssandu no Beira-Rio. Provavelmente tempo bom, estádio cheio e vitória do Inter, assumindo a liderança da malfadada série B.

Minha sensação é que entendemos onde estamos e o que precisamos fazer para obter as vitórias, e meu sentimento é de que será um passeio até o final do ano, talvez com um revés aqui, outro ali, nada preocupante.

Nao é um sentimento muito bom em se tratando de esporte, de futebol, e de Internacional, mas é o que tenho para o momento. Confesso que nem medo do famigerado salto alto aparece, é como estar voando em céu de brigadeiro em velocidade de cruzeiro.

Ai surge a necessidade de um desafio, de colocar uma meta acima da série B, de buscar algo mais do que a classificação, até para que essa venha num mar de tranquilidade.

Gostaria de uma sequência de 17 vitórias, ou, em patamar menor, uma série invicta a partir daqui; seriam 22 jogos desde o Oeste (posso ter errado as contas), uma marca considerável, uma referência ao campeão invicto de 79; uma reverência.

Penso também em 2018. Talvez fosse o momento de preparar 2018, ver quem serve e quem buscará outro time para desfilar chuteiras. Penso que é hora de vermos Iago na lateral esquerda, Joanderson, Bruno Gomes, Ortiz, e até, como Guto está testando, Gutierrez com Camilo.

Com o time estabilizado, porque não testar Junio, Valdemir, Mossoró (Juan segue lesionado, acho), um por vez, no maximo dois, nada de sair colocando todos juntos, desentrosados, como num vestibular.

Hora de ver bem o mercado argentino e seus armadores, seus volantes que saem pro jogo, e até laterais que sabem cruzar. Nada contra o mercado nacional, mas anda ainda inflacionado.

E me pergunto: ainda é cedo?

Payssandu foi nossa  primeira derrota. Depois de uma apresentação segura contra o Londrina, um desastre contra o ABC, a derrota nos tirou Zago, e nunca escondi minha felicidade por isso. Na época, pareceu motim, hoje, não tenho certeza, principalmente depois do jogo contra o Boa. Parecia impossível que o Inter jogasse pior do que contra o Payssandu, mas…

Ai reside meu medo, no impossível. A entrevista do Guto hoje foi alentadora. De uma certa forma, focou mais na distância do quinto colocado do que na liderança, um pensamento muito apropriado ante a euforia de cinco vitórias, mas gosto de estar eufórico, o céu se abre e dá pra enxergar mais longe, dá pra pensar em 2018. Mas Guto escorregou feio na vidraça.

Nao é falta de grandeza deixar a liderança de lado para pensar em 2018, desde que assegure a classificação. O ideal seria conciliar uma série invicta e experiências com novos jogadores, aí estaríamos recuperando um pouco da nossa história.

Facebook Comments

Author: Mauro loch

Share This Post On