Catilinária

Tempo de Leitura: 1 Minuto

Quo usque tandem abutere, Zago, patientia nostra? Quam diu etiam furor iste tuus eludet?
Em português, até quando vais abusar de nossa paciência Zago? Por quanto tempo tua loucura vai zombar de nós?
Desculpem-me os pacientes, a minha acabou quando Paulao foi laçado ao ataque para a casquinha, na saída do segundo tempo, disse isso no primeiro post.
De lá pra cá, nada, nem um mínimo avanço sequer, e a repetição dos erros.
Sim, vimos um Uendel melhorar o time, Carlinhos bem e Brenner fazendo gols, e uma boa estreia de Ortiz.
Mas, três jogos depois, incluo o amontoado de guris contra o Criciúma, nenhuma evolução tática, nenhuma segunda linha de marcação, nenhuma jogada ensaiada, nenhuma saída de jogo.
Pior, retrocedeu ao losango, depois ao 433, e não consegue montar um meio que saiba o que fazer com a bola, tamanha a pressa de se livrar dela.
Repetição? Sim, foi o que vimos nestes 3 jogos da semana, o mesmo time desorganizado, perdido, nervoso e ineficiente, que sobreviveu de individualidades e lampejos. Lastimável.

Isso aconteceu com os três times, com todas as formações e deformações escolhidas por ti, Zago.
Não vês, Zago, que Diego não rende colado na lateral, que Winck não é lateral e que Andrigo não é armador?
Tomara que a cegueira não seja apenas tua, e que a direção note que, muito mais que cirinos, precisamos de metade de um meio campo, quiçá de um treinador.
Quando lembro da casquinha me pergunto: até tu Zago?

Author: Mauro loch

Share This Post On
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com