O texto de 1001 títulos! | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

O texto de 1001 títulos!

Alguns exemplos de títulos prá este post:

quem com ferro fere, será ferido

aqui se faz, aqui se paga

tudo que sobe, tem que descer

BEM FEITO SEUS FILHOS DA PUTA

Pára o mundo que eu quero descer. O corintia foi ROUBADO?????

Põe no DVD

Agora enfia o DVD no cú, corintia filho da puta

– Vai [prá puta que o pariu] Corintia!

Pensando bem, acho que 1001 é pouco… Sintam-se a vontade para re-titular o texto nos comentários!

E antes de ir ao texto em si, me desculpo por sábado passado. Aqui no Canadá, o dia 22 de junho é o mais longo do ano. Já está claro aí pelas 4 da manhã, e escuro mesmo só lá pela 1 da manhã. Então o finde foi demais!

Ultimamente se fala bastante nos casos de corrupção no mundo do futebol. Mas peraí? Só casos? Não tá mais prá “vida normal”? Chamar o modus-operandi dessas organizações de casos é uma ofensa a efetividade das mesmas! Elas operam em [MODO CORRUPÇÃO]! É como fazem as coisas acontecerem!

OK. Estabelecido isso, volto ao assunto. O que temos visto ultimamente é a corrupção sendo escancarada no futebol.
Triste, feio… “uma merda” nas palavras do sábio Marinho!

Também não dá prá dizer que é surpresa ou novidade, né? Tudo isso a gente sabe que acontece, e já sentiu na pele muito bem.

CAMPEONATO BRASILEIRO 2005 SÉRIE A - FUTEBOL - ESPORTES - CORINTHIANS X INTERNACIONAL  - O  goleiro Fabio Costa faz penalti em Tinga (e)  em lance durante a partida. - Estádio do Pacaembu - São Paulo - SP - Brasil - 20/11/2005 - Foto: Fernando Pilatos/Gazeta Press.

Foto: Fernando Pilatos/Gazeta Press.

Só um fato é que me chamou a atenção, e fez os butiás despencarem do bolso.

O CORINTIA foi prejudicado!

Prá quem chegou de Saturno hoje, apareceram escutas telefônicas onde o finado presidente da federação argentina ajeita a escala de árbitros do jogo Boca e Corintia na Libertadores de 2013. A escala foi feita prá ajudar o Boca, logicamente, e o árbitro Carlos Amarilla seguiu as recomendações da encomenda.

Assim, em um jogo que entrou para a história do futebol mundial… o Corintia foi roubado!

A coincidência é que ficou-se sabendo de tudo isso por escutas telefônicas reveladas de um presidente de entidade. Saca? Lembra de algo parecido?

A diferença prá uma outra escuta telefônica de um outro presidente de entidade, é que neste caso mais recente, o argentino não usa nenhum termo se referindo a “roubo”. Nada. Ele é mais discreto.

Já em um outro caso bem parecido, temos um presidente de uma certa outra entidade usando a palavra “ROUBADO”.

Não podia deixar de falar nesta enorme coincidência! Lendo a imprensa esportiva do país, engraçado que ninguém menciona o que aconteceu em 2005, e muito menos a tal escuta do presidente corintiano à época. Em todos os artigos, colunas e posts que leio há mais de uma semana, se fala na vergonha, no absurdo, na indignação frente ao que aconteceu com o tadinho do timão. E em nenhum destes textos há sequer menção ao ano de 2005, quando coisa pior aconteceu, envolvendo a mesma organização criminosa travestida de clube de futebol.

Por incrível que pareça, o único que tocou no assunto, e esse sim, de forma bem clara, foi o gremista Mombach.

Terminada a minha grande introdução (no bom sentido, é claro!), o meu assunto principal aqui é: e o torcedor? Gosta disso? Aprova isso?

Pergunto aqui ao torcedor de qualquer time. Tu prefere perder um campeonato na bola, ou ganhar roubado? Prá ti o que interessa é taça no armário, ganhando “de qualquer jeito”, pois daqui há 10 anos ninguém mais vai falar nisso, e dependendo da camisa que a imprensa usa, 10 anos podem vir a ser já o dia seguinte?
Tu prefere ganhar assim, ou continuar amargando um jejum de sei lá quanto tempo? Fair play ou mimimi?

A tentação é grande, mas eu digo que ganhar sabendo que foi na bola, não tem preço.

Claro, erros de arbitragem acontecem. E prá torcida rival, esses erros são, no mundo paralelo, comprovadamente arranjados, vide Paysandú, Nacional, Santa Fé, por aí vai…. Tudo no bolso do Noveletto, do Sonda, do empresário do D’Alessandro, do Gentil, etc… Vai ver o Inter tava dopado contra o paysandú também… (peraí, também? Epa…! Deixa isso prá lá!)

Mas na boa, se por acaso algum desses fatos fossem, comprovadamente reais (minha opinião é que não são, só prá deixar bem claro), eu ficaria envergonhado. Eu não consideraria um título de verdade, da mesma forma que me considero tetra-campeão brasileiro em 2005.

Se o Paysandú foi mesmo comprado, se a Libertadores de 2006 foi realmente trocada pela roubalheira de 2005 (o Tinga ser expulso na final foi um lapso do juiz, então….), se o Santa Fé…. (qual foi o erro ali mesmo? Já nem lembro)…

…de qualquer jeito, se qualquer um dos arrotos recalcados dos sofredores da realidade paralela fossem comprovados, eu rejeitaria o título NA HORA.

Ganhar roubado é perder. Simples assim.

Mais uma vez, roubo é diferente de erro do árbitro. Lembro de alguns grenais, por exemplo, onde perdemos ou deixamos de ganhar por erros da arbitragem. vice-versa também. Isso acontece, e não vem ao caso aqui. Falo de roubo organizado mesmo. Gente influenciando, definindo, comprando, etc…. Coisa grossa.

Logo, fica minha pergunta aqui repetida. Tu, colorado, gremista, corintiano, flamenguista, comemoraria (comemora, no caso paulista) título roubado?

Eu não. Muito feio.

Quer um exemplo bem escancarado de roubalheira pro “nosso” lado? Gauchão decidido contra time do Interior. Não só final. Joga Inter ou Grêmio, decisivo, contra time do interior…. pode ter certeza que a dupla vai ser favorecida, e vai ser por influência externa. Talvez nem das direções dos clubes (ou talvez sim), mas todo mundo sabe dos interésses (a-la Brizola) em favor de final com a dupla. Logo, quem me conhece daqui, sabe que não ligo a mínima prá Gauchão….

Por outro lado, lembro de alguns exemplos de erros graves, mas que não considero roubalheira organizada. A Copa do Brasil de 92, do penalty do Pinga. Mais um caso. O Pinga disse que cavou o penalty. Mesma coisa. Foi na hora. Sentiu a oportunidade, se aproveitou, cavou o penalty. NADA foi roubado. O juiz errou, e ele se aproveitou. Tudo isso é verdade, só que não é o mesmo caso do corintia nos dois casos aqui (2005 e 2013). E é disso que to falando. No futebol tem muita malandragem. A essência do jogo é enganar o adversário, com o drible, com o passe, com a conclusão. Se no processo tu engana o juiz, bom… tá moralmente errado, mas faz parte do jogo… como um poker, um xadrez. Deixa que os 22 em campo mais os árbitros se entendam. Ronaldinho fez gol com ajeitada na mão? Mesma coisa! Paciência. Ele premeditou antes do jogo? Combinou com o árbitro prá não marcar nada em troca de uns pila? Duvido. Logo, não se aplica ao meu questionamento. Lembro também de um outro grenal que o Inter vencia por 1 x 0, lá pelos anos 90, e num chute do Grêmio, no fim do jogo, sem goleiro, o zagueiro colorado pula como um goleiro, em cima da linha, e tira a bola que entraria certo. Penalty e cartão vermelho. Final 1 x 1. O replay mostra claro que ele tira com o ombro. Roubo? Não! Um erro? Sim, e grave! Decidiu o resultado, mas não é a mesma coisa. Dá prá entender a diferença?

Não? Ah então vai assistir a novela…

Sim? Que bom. E vamos ao fim de semana. Previsão de 31 graus aqui! Abraço!

tiago - colorado no canada

Author: tiago - colorado no canada

Moro em Edmonton, Alberta, Canadá, desde 2006, chegando logo no fim da primeira fase da Liberta. Vi as finais pelo computador, naqueles sites cachorros que a imagem tranca e fica passando a conta-gotas, e o mundial pela TV - com muita neve na rua!

Share This Post On