Chegou desconhecido, tornou-se ídolo, partiu como um anjo… | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Chegou desconhecido, tornou-se ídolo, partiu como um anjo…

Nasci colorado, tenho certeza disso. Mas até você vestir nossa camisa, o Internacional é apenas alguns flashes de memória para mim.

Naquele hoje longínquo ano de 2004, você desembarcou em Porto Alegre, até então como um ser desconhecido, mais uma de tantas contratações que chegavam ao adormecido Colorado dos Pampas. Não lembro desse dia é claro, tão pouco devo ter me entusiasmado, até porque, como grande parte dos torcedores vermelhos, o futebol naquele tempo não trazia tantas alegrias. Vivíamos de espasmos, buscando encontrar o orgulho perdido a tantos anos atrás. É claro, a camisa vermelha seguia vestindo nosso corpo, no entanto, ela já não nos aquecia como outrora.

A esperança já cansada de dias melhores prometidos, tão pouco reacendeu a chama, no entanto, quando você tombou sobre os joelhos naquele gre-NAL eu estava com você Fernandão. Não só eu, mas um mar vermelho levou as mãos ao rosto juntamente contigo, e aquele sentimento cansado, enfraquecido e surrado voltou a cavar seu espaço.

Dali em diante meu amigo, o Internacional virou paixão para mim. Amei esse clube como você o amou. Os ouvidos ligados ao rádio, me faziam enxergar você lá lutando, com o semblante concentrado e firme de sempre, aquele que só um líder de verdade consegue ter. O desconhecido, se tornou ídolo.

Nós colorados confiamos em ti Fernandão. Nós largamos este clube GIGANTE, porém enfraquecido nos teus braços. E como o vi fazer em muitas ocasiões, durante aqueles jogos encardidos, você berrou “JOGA EM MIM” e o levou. Quando estávamos tão perto, a justiça injusta nos tirou a glória, porém, o líder não esmorece, pelo contrário, ele cresce nas adversidades. Você bate nele e ele levanta com mais fome de vencer.

O Brasil era pequeno demais para você Capitão. A sujeira que já naquele tempo tomava conta de nosso futebol não lhe merecia. Quando nós pensamos que a chama da esperança novamente se apagaria, você acendeu ela com uma força Continental. E não satisfeito, como um líder verdadeiro deve ser, você foi além, e derrubou a barreira que segundo muitos era impossível. Seus berros naquele vestiário certamente ainda ecoam. Seus passos com o uniforme ainda sujo da batalha, naquela noite-dia, ainda estão marcados por lá Fernandão.

Quando a dor da saudade sufoca o nosso peito, sabemos que este é o preço a se pagar por aqueles que tiveram a honra de ter convivido contigo.

Você nos fez renascer. E partiu como um sonho bom, daqueles que não queremos mais acordar.

Hoje nada mais parece impossível para nós meu Capitão. Embora tudo aquilo que estejamos passando, a chama da esperança não se apagará. Quando as forças parecem se esgotar, nós tombamos de joelhos, como naquele gol mil, olhamos para cima, ou até mesmo escondemos o rosto dentre nossas mãos e pediremos por sua ajuda. E o Beira-Rio voltará a acender, e o sangue Colorado voltará a aquecer o nosso peito.

Porque só aqueles que tiveram um anjo em suas vidas, sabem que a esperança nunca morrerá.

Obrigado por tudo Fernandão. Descanse em paz!!!

Facebook Comments
Pedro

Author: Pedro

“Um Colorado na Serra Gaucha…”.

Share This Post On