Tá certo, Sime… opa, Argel… | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Tá certo, Sime… opa, Argel…

Foto de capa: Atlético de Madrid / Facebook Oficial

Estes pontos perdidos nos dois últimos jogos vão custar caro.

Foi mais cedo do que imaginei. Na sexta passada, tanto no vídeo, quanto no meu post, enfatizei a necessidade todo o cuidado com o excesso de oba-oba e de bajulação que viriam sobre time e treinador. E o que o clube fez?

Comparações com Simeone, Inter maior que o Atlético de Madrid, sou de paz, mas especialista e por aí vai…

Tem base? Tipo, se ainda fosse depois de vencer o primeiro turno, vá lá… Mas nem mesmo conseguiu curtir a liderança e já vai entrando nessa? Erros e mais erros voltaram ser cometidos e alguém arrisca chutar os motivos? Eu falo: falta concentração, falta humildade COM atitude, falta maturidade e, claro, falta capacidade.

Simeone e Atlético de Madrid? Inter “maior”? O que isso significa? O “maior” venceu Figueirense? Coritiba? Quem vive de história é MUSEU. História é pra criar identificação, não pra se vangloriar. Isso é coisa de gente de mente pequena, medíocre, mesquinha. A “melhor zaga do Brasil” (por dedução) realmente acreditou nisso e em dois jogos ficou extremamente comum. Sabe, eu não espero muito, mas venho torcendo pela superação. Sempre é bom dar um voto de confiança ao ser humano de que ele pode ir além das expectativas.

As expectativas para o Inter (realistas) são de um desempenho mediano, nada mais. Mas como potencial, é sim possível que parte dos jogadores produza muito mais, que o técnico APRENDA com erros e MELHORE. Assim como é possível ocorrer o oposto: jogadores decaem, técnico se afunda em suas “convicções”.

Não jogo a toalha, pois é cedo. Mas afirmo sem medo: o custo destes pontos perdidos aí vai ser muito alto e implicará em não apenas parar de perder para estes times, como em vencer jogos de ida-e-volta contra concorrentes ao título. Este tipo de burrice é que não entendo… Pontos perdidos contra pequenos obrigam a tirar dos grandes, o que vai dar muito mais trabalho!

É impressionante e decepcionante os caras entrarem cagados contra um Figueirense e um Coritiba. Se deixarem pressionar, encurralar.

Enfim, o que era difícil, agora está ainda mais.

ps.: Sobre minha forma de ver os últimos resultados, segue comentário que fiz num debate com o Renato Rolim:

Então, eu vejo assim: suponha que você tenha que carregar uma certa quantidade de tijolos regularmente, digamos 100 tijolos por dia. Digamos que a cada 3 dias, seu chefe vem checar a quantidade de novos tijolos carregados (que deveria ser 300, portanto)

Se você perde um dia, você ainda tem 2 para carregar os 300 tijolos. Se você perde um segundo dia, ALÉM de perder o primeiro, você terá apenas um dia para carregar todos os 300 tijolos.

Não há dúvida, pelo menos para mim, de que o segundo dia foi mais catastrófico do que o primeiro, pois no primeiro você ainda tinha como compensar a perda nos demais dias. Mas no segundo dia perdido, você não apenas acumula mais, mas você tem apenas 1 dia para compensar.

Uma derrota ou empate se torna cada vez pior, à medida que o campeonato avança, pois as chances de compensar diminuem. Então, não importa se o time jogou pior ou melhor num jogo ou noutro, ou se o adversário era melhor ou pior, ou se o histórico dos confrontos diz isso ou aquilo. O que importa é que há dois jogos atrás tínhamos dois jogos para fazer 4 pontos, há 1 jogo não podíamos alcançar mais os 4, mas tínhamos a chance de fazer 3, e agora não os temos mais como recuperar estes pontos.

É este raciocínio que deve estar por trás da noção de “foco no próximo jogo”. O próximo é o mais importante, cada jogo é mais importante que o anterior, pois é o que te permite diminuir seu trabalho lá na frente. É importantíssimo abrir vantagem agora, para gerenciar contusões, cartões, convocações e maus resultados mais tarde.

Avatar

Author: Pablo Faria

Mais um torcedor colorado, mas goiano. Além disso, linguista como profissão e músico/cantor nas horas vagas.

Share This Post On