Qual será o time?

Tempo de Leitura: 3 Minutos

Olá pessoal, tudo bem? Espero que as férias de vocês tenham sido boas. Bom, aos poucos vamos retornando ao ritmo normal neste ano que pelo jeito irá ser muito longo para os colorados, neste mês a reformulação do elenco está sendo feita e as principais mudanças que são necessárias para o Inter recomeçar é mudar totalmente o setor defensivo e principalmente mudar a mentalidade da equipe, que em 2016 foi de um time retranqueiro que não gostava de atacar e de manter a posse de bola, acredito que todo torcedor colorado já ficou cansado dessa mentalidade de timinho e de jogadores que não sabiam fazer um passe de 3 metros, faz alguns dias que eu estou pensando em um time que possa mudar este quadro e cheguei a conclusão que o melhor time com os jogadores que temos atualmente e com as contratações que são necessárias é este.

No gol o Danilo Fernandes é titular indiscutível. Na defesa Ceará é melhor opção na lateral direita por enquanto, Eduardo e Neris nesse momento é a dupla titular e na lateral esquerda Uendel vem para assumir a posição.

Os jogadores que abririam o meio de campo seriam Rodrigo Dourado e Seijas, mais tarde eu explicarei esta escolha. Completariam o meio de campo Valdivia e D´alessandro, além deles o clube tem que contratar outro meia que jogue pelos lados do campo, pois o que temos atualmente no elenco podem ser no máximo reservas, e no ataque Nico Lopez.

A minha escolha pelo Seijas como segundo volante tem lógica: Os atuais volantes do Inter (Bob, Fabinho, Anselmo, etc…) são do nível de série C e Seijas além de ser muito melhor tecnicamente do que os outros, ele já jogou nesta posição na seleção da Venezuela e até em alguns momentos lá no Santa Fé.

 

Seijas jogando como meio campista por dentro

 

Nessa imagem vemos ele auxiliando os zagueiros na saída de bola

 

Seijas ajudaria muito na transição ofensiva pelo meio para tentar um passe vertical para quebrar as linhas de marcação do adversário, coisa que faltou em 2016, e esse ano ainda terá D´alessandro para ajudar nas construções das jogadas.

Voltando a escalação, quando o Inter estivesse sem a posse da bola e no campo defensivo o time iria mudar para a formação 4-4-1-1, com esta formação D´alessandro não seria muito exigido e teria que correr menos, e se a equipe conseguir ficar bem compactada, o adversário terá muita dificuldade em passar pela defesa.

 

Já na fase ofensiva, ou seja, quando o Inter estiver com a posse de bola no último terço do campo, a equipe estaria numa espécie de 2-3-5, podendo variar para um 2-2-6 ou até mesmo 2-1-7, dependendo da movimentação dos laterais.

 

Com esse movimento, o Inter pode ter o que não tem a muito tempo, que é a compactação e a presença de um grande número de jogadores no campo do adversário, com isso a troca de passes e as triangulações ficariam muito mais fáceis e caso o Inter perdesse a posse de bola, os jogadores teriam muito mais chances de recuperar a bola antes do adversário conseguir armar um contra ataque, porque eles estariam próximos e poderiam fazer pressão no oponente que estivesse com a bola imediatamente após a perda

Esta é um modelo de jogo muito simples, basta que um técnico tenha a mentalidade certa e faça os treinamentos adequados para por em prática estas variações, além disso também tem que ter jogadores que sejam inteligentes o suficiente para compreender os conceitos táticos e aplicar durante a partida.

E pra vocês, qual seria a escalação ideal para o Internacional neste ano?

 

Author: Nickolas Machado

Share This Post On
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com