Mudança de comportamento | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Mudança de comportamento

Não, não é sobre a música do IRA!, nos auspícios do rock nacional, segundo eles inspirada no movimento MOD da Inglaterra.

É sobre o Inter mesmo.

Como anteparo, já manifesto um certo ceticismo com Odair e o time, não me guio por entrevistas dos forjados a media training , mas pelo que ocorre e não ocorre em campo, principalmente nas substituições e escolhas na composição do banco.

Nos últimos anos negros do clube, coragem era um sentimento que passava longe da casamata habitada pelo treinador. Segurar resultados era a lógica reinante, e, em algumas vezes, segurar derrotas por placar mínimo chegou a ser cogitada como boa opção.

Ontem houve uma mudança de comportamento, ainda que mínima, ainda que em um jogo com os reservas, ainda que em um jogo de menor importância para o título.

A primeira alteração foi a substituição, no intervalo, de um jogador que vinha em péssima jornada. Isso só acontecia com os nossos guris da base, mesmo que estivessem regulares, mas aconteceu com um contratado, e recém-contratado.

Ruan, que estava em um péssimo dia, mesmo que ainda não tenha mostrado um bom, foi sacado do time, de um lado defensivo sofrível, formado por Thales, Ruan e Gabriel, mas que encontrou em Ruan a apoteose do mau futebol, mesmo tendo ele salvado um gol.

A segunda modificação foi o não ingresso de outro jogador ruim, ou defensivo, ou, como acontecia bem recentemente, não houve um terceiro volante em campo reforçando um setor que estava muito mal.

Pelo contrário, Odair sacou do banco um atacante, ou um meia atacante, que seja, um jogador que tem vocação ofensiva.

De uma tacada só, o Inter melhorou no meio, sem Gabriel para atrapalhar Charles, e ainda ganhou uma opção de drible, ainda imatura, ainda ansiosa, mas uma opção de drible vertical que não existia naquele lado.

Mais adiante, sacou um cansado WS, também ansioso e querendo mostrar serviços individuais e levou Nico ao campo, para mais uma vez pifar nossos atacantes com dificuldades para marcar. Aí, nada de novo, pois o jogo já estava quase meia linha para o Inter.

Com muito atraso, e isso não mudou, Odair tirou Camilo e promoveu a minguada estreia de Richard entre os profissionais; minguada não pelo futebol, mas pelo tempo. Em parcos 10 minutos, Richard conseguiu uma conclusão em direção ao gol, que, salvo engano, nenhum outro ainda tinha conseguido. Outro que chuta, com Nico, já é um alento num time que há muito tempo tem evitado o chute.

Eu sei que é apenas um jogo, e, como ressaltei, sem grandes importâncias, mas há um certo tempo que não víamos substituições com vocações ofensivas que não fosse empilhar atacantes de área. É pouco, acho que Odair deveria mudar mais, tentar o time sem Dourado e sem Damião ou Roger, tentar jogar no 442, mas é um começo.

O gol não saiu, e se saísse, foi o São Luiz que criou as oportunidades mais vivas, mas o Inter não se defendeu, atacou de forma organizada, ocupou o campo adversário e não foi competente para colocar a bola nas redes, mas não jogou com 3 volantes.

Author: Mauro loch

Share This Post On