EMPATE MARAVILHOSO | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

EMPATE MARAVILHOSO

Sim, temos que comemorar o empate e o ponto conquistado, porque, basicamente, foi esse o objetivo do Inter no jogo contra o Santos.

Claro, se um time é escalado para não perder, e, especulando, consegue uma vitória, loas, mas se volta com o empate, também merece aplauso.

O problema é o objetivo, e com esse é que não consigo concordar.

Odair escalou um time para se defender, abriu mão de qualquer articulação e apostou na velocidade de Parede para atacar e recompor, também jogando as fichas na recuperação de bolas na intermediária.

A estratégia até que deu certo, após uns 20 minutos em que o time não se achou em campo e ficou procurando onde estavam os santistas, que, por sua vez, não aproveitaram o único momento bom que tiveram no jogo.

Depois o Inter assentou a defesa, a marcação e começou a roubar bolas nos passes errados do Santos, buscando os contra-ataques, embora com pouca gente na área. A ideia inicial era não levar gols, por isso o ímpeto ofensivo foi refreado, com Edenilson e Nonato chegando bem menos perto da área, apesar do buraco entre defesa e meio do Santos.

Considerando que jogamos para não levar gols, o time foi bem, com Bruno pregado no campo defensivo e Iago mais liberado. Sampaoli ajudou muito ao tirar qualquer centroavante do time do Santos, deixando Emerson Santos e Cuesta soltos para matar qualquer jogada que ultrapassasse a primeira linha defensiva. Nem pelos lados o Santos conseguiu ou investiu muito, e foram várias bolas recuperadas e mal aproveitadas, algo esperado quando se abdica de um  passador mais ousado no meio campo.

Nico e Parede também fizeram bom jogo, disciplinados, mais Parede que Nico, considerando que Jorge ficou mais na marcação que o lateral direito santista, e por ali, no nosso lado esquerdo, Nonato aparecia mais para triangular com Iago e Parede.

Guerrero segue saindo da área, onde, isolado no meio de dois zagueiros altos, não faria muita coisa mesmo. E tome habilidade no domínio, e uma lástima de gol perdido na belíssima defesa do Vanderlei.

Nonato ainda erraria do gol em rebote do escanteio, pois pouco poderia se esperar de um time sem articulação e ousadia.

Aí veio a lesão de Edenilson, e Odair perdeu outra chance de querer ganhar sem especulação, mas com volume de jogo. Entrou um perdido Rithely, para depois entrar um inexplicável Pottker, com Sarrafiore e D’Alessandro no banco.

Um registro é necessário. Enquanto apostamos em Rithely, nosso guri da base, Ramon, faz o papel de Edenilson no Vila Nova, na série B, sendo absolutamente inexplicável como jamais teve uma chance sequer no time, testado que foi como reserva do Uendel na lateral esquerda. No mesmo time, Richard é titular jogando aberto pela esquerda.

O pênalti, do qual tenho ainda dúvidas, é resultado de um buraco na marcação, onde deveriam estar Rithely e Pottker. Comemoremos o ponto.

Pottker ainda perde um gol em mais um chute errado, mesmo sem marcação. Sempre digo que grande parte do mérito de um jogador é estar lá na hora do gol, mas Pottker faz repensar a ideia.

Enfim, ponto ganho de acordo com o objetivo do clube, que certamente não é título ou fazer gols com volume de jogo, mas abocanhar uma vaga enquanto acerta as contas.

Na minha humilde opinião, esse time pode mais, arriscando um pouco mais

Avatar

Author: Mauro loch

Share This Post On