CARAS NOVAS e COPINHA

Assisti aos dois jogos posteriores da copinha, contra Capivariano e Volta Redonda. O primeiro foi um empate no polo aquático, sem chances de qualquer análise. O segundo foi um jogo ruim do Inter, mas com vitória em pênalti claro, aos 50 do segundo tempo.

Muito diferente do segundo jogo, o time não era o mesmo, apesar de os mesmos jogadores em campo. O goleiro errou todos os lançamentos, não houve a intensidade dos primeiros jogos, tecnicamente muitos estiveram muito mal, exceto a zaga e laterais.

Volnei errou tudo que tinha direito até sair, quando o time melhorou. Praxedes tem muito talento, mas precisa jogar futebol coletivo, e não viver de passes isolados, ou será outro com excelentes recursos sem saber usá-los.

Nicholas, que não jogou nada no segundo jogo, apareceu como um jogador importante e técnico . Matheus, autor do gol em pênalti bem batido no fim de um jogo nervoso, também pareceu melhor. Cesinha, definitivamente, merece aproveitamento no principal, mas na função do Edenilson. Caio segue brigador com alguma técnica, e Leonardo, o lateral esquerdo, voltou a agradar.

Mas o time estava desestruturado, com uma marcação estranha, talvez sofrendo pelo forte calor. Guilherme Pato entrou no intervalo e mudou o jogo, com muita velocidade, muitos desarmes no ataque, e sofreu o pênalti aos 50. Ou seja, o time tentou até o último momento. Murilo entrou no lugar de Volnei, e parece mais técnico, conduz bem e passa bem, além de sair jogando. Mosquito (Lucas), entrou no lugar de Praxedes, e também foi bem, merecendo mais observações.

No geral, foi um jogo ruim, mas digo que é bom ganhar jogando mal de vez em quando.

No time titular, caras novas, talvez com um pouco de atraso. Marcos Guilherme foi sugestão minha três anos atrás, não sei como está agora, mas aprecio o estilo. Ainda acho que devemos nos livrar de Pottker, pelo bem do grupo, principalmente porque é um jogador muito pouco inteligente, e Coudet precisa de inteligência para montar a marcação.

Moisés  é um lateral que fez uma boa temporada no Bahia, tem força e velocidade, e algum drible. Rodinei é lateral de força e velocidade, o que parece ser o que o treinador aprecia na montagem do time.

Sigo achando que Coudet é o melhor reforço da temporada, e que terá muito trabalho para mudar o jeito de o Inter jogar. Acredito que isso acontecerá apenas com o ingresso de caras novas, com alguma coisa para provar, e com a competição dos jovens buscando um lugar no time. A preparação física bem puxada forçará os descansados ao banco e isso implicará na utilização dos jovens, pelo menos no gauchão, o laboratório para competições maiores. Sempre que foi assim, uns dois aparecem.

De qualquer forma, tudo muito cedo ainda, e nada muito animador, torcendo para um conjunto que suplante a messiânica costumeira dependência de um jogador. Só esse fator já mudaria a cara do time.

Author: Mauro loch

Share This Post On