Apequenamento | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Apequenamento

Tempo de Leitura: 2 Minutos

Time grande não cai. Não tenho nada contra a frase, e acho que é verdadeira. Time grande cai quando fica pequeno, seja pelo time, seja pela direção, seja pelo orçamento, mas principalmente porque  joga como time pequeno. O inter caiu, daí um silogismo básico de que ficou pequeno.

Precisamos  saber porque ficamos pequenos, porque reduzimos, como nos encolhemos.

O Inter ganhou seu maior título em 2006, depois de um brasileiro garfado no campo e fora dele. Venceu o melhor do mundo, um timaço, por 1×0, o suficiente.

Iniciamos uma era de títulos, mas cada vez que construíamos um andar a mais, passou a impressão que o teto estava sempre no mesmo lugar, e para ir mais alto, deveríamos subir curvados.

Em vez de arrotar nossos feitos e grandezas, a cada revés  nos ajoelhávamos, culpávamos a arbitragem, o campo, a falta de estádio, de torcida, os excessos de viagens, a troca de treinadores, o calendário, a base, os contratados, a imprensa, enfim, o que tivesse pela frente, contraditório ou não.

No lugar de lembrarmos que time grande joga como time grande, em qualquer lugar, estádio ou condição, nos reduzimos, ficamos satisfeitos com as recentes glórias e não projetamos o futuro de grandezas.

Ainda não compreendemos. De tanto jogar como pequeno, seguimos com essa mentalidade, e a prova foi o jogo contra o Cruzeiro, no ruralito. Jogar como time pequeno é jogar para não levar gols, resumidamente.

Sim, Cruzeiro de Porto Alegre. Sem ofensas, é um time organizado, com um Beatle como destaque, e só.

Ai fazemos 1, e a doutrina unitária tomou conta do jogo. UM mísero gol, e aos 4 do segundo tempo, o goleiro retardava o tiro de meta, o NOSSO goleiro; ninguém, exceto Dale, queria cobrar lateral.

Apequenamento. Com todo o respeito ao Cruzeirinho, era jogo pra 3, 4. Eles finalizam a gol uma única vez, ou duas. Acho que outra duas pra fora, e só chegavam perto em bolas paradas e em bate-rebate.

E vem o segundo gol, mais na vontade do que na organização, e Zago, assustado com o placar, chama Anselmo, sonoramente vaiado ao entrar em campo. Isso é apequenamento, não só por Anselmo, mas por estar satisfeito, segurar o placar contra o Cruzeiro, dentro do Beira-Rio.

Claro, encolheu, levou gol. Na primeira jogada após Anselmo em campo, eles quase marcaram. Não é por acaso.

Time grande ousa, ataca, dribla, tabela, cria jogadas, erra gols, arrisca. Time grande não isola seu melhor jogador da bola, não joga com 3 volantes, não recua quando faz gol; time grande sempre quer mais, e diz que goleada é respeito pelo adversário.

Só farei um registro de Edenílson, um verdadeiro abismo o separa do que Zago usava antes. E é o Edenílson, só para termos uma ideia do Zago usava antes.

Time grande cai, e se levanta, mas precisa jogar como time grande. Não sei se Zago consegue.

Facebook Comments

Author: Mauro loch

Share This Post On
Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com