A Base | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

A Base

Ontem levamos 5 do Guarani na copinha, e fomos eliminados. O Inter sempre teve tradição na copinha, mas nos últimos anos tem sido eliminado muito cedo.

A derrota de ontem foi vexatória, mas poderia ter sido pior. Não pelo placar, PSG já levou goleada pior, e, se não me engano, o Arsenal também nesse ano, e são vários os exemplos.

O vexame não está aí, no placar, nem mesmo no desempenho do time, jogar mal é parte do futebol, perder também, mas aceitar a derrota muito cedo é o pior de tudo.

Ainda assim, poucas vezes vi uma zaga e um volante tão ruins na base. Poucas vezes vi um jogo tão ruim na parte defensiva, e raríssimas vezes vi uma teimosia tão grande em manter um esquema que faliu em 20 minutos de jogo.

A falha, e estou sendo leve, do treinador, pode ter comprometido toda uma geração, embora talvez isso tenha sido bom. Mas vamos por partes.

Não se tem um time ofensivo com um goleiro que joga só na pequena área. Não há saída de jogo com 3 defensores se nenhum deles tem velocidade, e, parece um mantra incompreensível, não se faz gols com atacante isolado.

O Guarani não controlou o jogo, apenas fez gols. Aproveitou as bolas perdidas do Inter e, em dois ou 3 toques, chegou ao gol, até construir os 3×0, o terceiro numa falha incrível do goleiro, que matou animicamente o time.

Mas mesmo no primeiro tempo, era o Inter que controlava o jogo, o Guarani ameaçava em uma ou outra estocada, e, num erro de passe veio o primeiro gol, quando o atacante, no meio de uma zaga distante entre si, recebeu lançamento antes da intermediária.

O segundo gol veio de um erro de Cesinha, onde não pode errar, seguido de um bote errado do zagueiro. O erro de Cesinha o enterrou no jogo.

Nosso treinador não viu nada disso, não viu que a estratégia do Guarani era o erro do Inter, comum entre guris, e esticar uma bola. Poderia ter feito 8 assim, e o técnico nada fez, ainda voltou com o mesmo time para o segundo tempo.

Do time, salvou-se Fábio, que lembra muito Magrão, e não apenas salvou-se pela técnica, mas foi o único que manteve a vontade de ganhar até o final. Ainda acho que tem futuro o lateral Heitor e o atacante Da Silva. Surpreendentemente, quem jogou bem foi Brenner, praticamente sem errar passes, fazendo a parede e distribuindo o jogo no ataque.

Da Silva é um atacante nervosinho e de bom drible e chute, mas errou dois por não chutar. O Inter construiu as melhores jogadas plásticas do jogo, mas não marcou.

Depois dos 3×0, a defesa se desestruturou e sofremos jogadas infantis de ataque, fazendo dos 5 quase um lucro.

Bem, a base serve para que? Títulos? Formar jogadores? Experimentar jogadores?

Ultimamente, parece que a base do Inter serve para balcão de negócios de empresários, que querem mostrar um ou dois de seus jogadores e receber dinheiro do clube. Além disso, parece servir de experimento de treinadores teimosos, com ideias pouco convencionais, refens dos empresários que bancam os jogadores.

Nao é impressão de um jogo só. Alguns somem da base sem explicação, outros aparecem da mesma forma, e o famigerado sub-23 exterminou as chances dos guris no time principal.

Enfim, não estamos formando jogadores, não estamos ganhando títulos, muito menos experimentando treinadores, mas apenas alimentando empresários de jogadores ruins, e por isso tem que fazer terra arrasada sim. E repito, não pelo placar, mas pela falta de vontade de honrar a camiseta que envergaram.

Salvo Fábio, Heitor, Da Silva e Brenner, nessa ordem, o resto, o clube deveria ter uma séria conversa com os empresários, e sugerir que estudem.

Aliás, prestaria muita atenção nesse Fábio, se vamos formar jogadores, aí tem um que parece valer a pena.

P.s.: do time principal, muitos médios e médios ruins, eu trocaria por dois médios bons, o custo seria o mesmo, mas seguimos na base da quantidade.

Author: Mauro loch

Share This Post On