2020

0
(0)

Não pude ver o jogo, não sei se feliz ou infelizmente. Vi apenas os melhores momentos, algo em torno de 3 minutos, o que torna impossível de avaliar 90 em 3.

Mas é possível avaliar a escalação, um tanto quanto incoerente, fazendo jogar D’Ale e Sarrafiore juntos, mesmo dizendo que jogam na mesma posição. Neilton no lugar de Parede, encostado em alguma lateral.

O resultado foi um gol do Galo e quase 90 minutos de tentativa de empate e vitória. Por incrível que pareça, uma virada. Normalmente os jogos contra o Galo são atípicos, como foi o primeiro turno, e como foi a vitória do Galo no ano passado, quando perdemos no Beira-Rio.

Nada mais resta do que projetar 2020, olhando com muito cuidado para 2019. Há jogadores que rendem uma temporada apenas, alguns, por metade dela, e muitos que rendem em um time apenas, com uma determinada formação. Esses podem ir embora. Não deveriam sequer ter sido contratados.

Prefiro os regulares, sejam bons ou ruins, porque não escondem como jogam. Claro que os ruins também não deveriam ter sido contratados, mas foram. Um bom projeto para 2020 é não contratá-los. Normalmente, são fáceis de identificar, aqueles chamados jogadores para compor o grupo.

Especificamente, o Inter não deveria renovar com nenhum jogador com contrato vencendo, e com nenhum dos emprestados. Aí incluo José Aldo, porque nada indica que possa ter alguma chance, e já estamos com muitos outros jovens na fila, que não dependem de empréstimos. Se fosse um grande jogador, mesmo com as nulidades da casamata, pelo menos 90 minutos teria jogado. Parede, claro, entra nessa, com WS, Neilton e afins.

O segundo ponto é se livrar de jogadores com mercado, como Lomba, Danilo Fernandes, Bruno, Dudu, Uendel, Patrick, Edenilson, tentando amealhar o maior numero de reais possível. Ouvi que Danilo recebeu proposta do Grêmio, e eu não pensaria duas vezes em deixa-lo ir com a devida compensação financeira.

O terceiro ponto, e o mais importante, e garimpar os bons jogadores de times ruins, identificando aqueles que não deram certo por algum motivo que não seja sua capacidade técnica e comportamento fora do campo. Estes são os verdadeiros jogadores para compor grupo, que podem render uma boa temporada bem ajustados.

Não é fácil, mas o Inter emprega e gasta bem com bons profissionais para isso, além do investimento em tecnologia.

Sem tecnologia, cito alguns nomes que poderiam receber investimento não muito expressivo, ou ser envolvidos em trocas. Luan, do Galo, me agrada, mesmo vindo de uma temporada ruim.

Os laterais do Bahia, Moisés e o reserva da lateral direita, João Pedro ou Paulo, que parece pertencer ao Palmeiras, assim como Arthur, mas esse valeria um investimento mais pesado.

O rebaixado Cruzeiro também terá jogadores que podem dar certo, como Dodô, lateral esquerdo, e que serão limados pela performance ruim de todo o time e direção. O Palmeiras não deve contar com um grupo tão numeroso, e Rafael Veiga, pretendido pelo Grêmio, Scarpa, Hyoran e outros podem entrar em liquidação.

Algumas contratações pontuais, com alguns egressos da base, podem fortalecer o time, que, com um novo treinador, poderia mudar a sina melancólica que tem acompanhado o time, buscando uma postura mais vencedora, mais preocupada em fazer gols do que em não toma-los.

Aliado às dispensas dos estrangeiros, e à quase certeza do não aproveitamento de Sarrafiore, poderíamos deixar as contratações mais fortes para essas vagas, considerando também a saída de Guerrero.

Do resumo de 2019, iniciaria o time de 2020 com Heitor, Moledo, Cuesta e Nonato, e que venham os demais.

 

How useful was this post?

Click on a star to rate it!

As you found this post useful...

Follow us on social media!

Author: Mauro loch

Share This Post On