Um pouco de tudo (e quase nada) | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Um pouco de tudo (e quase nada)

Os reforços

Galdezani, que pelas características poderia jogar como 1º, 2º e até 3º homem do meio-de-campo estourou o ligamento cruzado anterior e praticamente irá perder a temporada, com exceção do último trimestre. Sofri recentemente a mesma lesão, e a perda de mobilidade no joelho só é superada pela falta de confiança em rotacionar o corpo depois da lesão. Acredito que não volte em grande nível este ano, no que parecia ter sido uma contratação interessante.

Já Bruno não joga futebol de alto nível há pelo menos uns três anos e é o típico jogador que teve alguns anos bons no começo da carreira e depois caiu em declínio técnico. O Inter tira o mesmo do ostracismo e faz uma aposta que ao meu ver será uma surpresa se render bons dividendos. Não me agrada.

Por fim, Trellez é negócio de ocasião, tendo despontado no Vitória, mas como de praxe em jogadores que despontam em uma boa temporada, não consegue repetir o desempenho a médio prazo ou em clubes de maior pressão como foi o São Paulo. Ao passo que é difícil imaginar que seja inferior ao futebol apresentado pelo Alvez e também encorpa o grupo para uma temporada com 4 competições, é outra aposta que não levo muito fé.

O Inter anuncia momentaneamente ter fechado o grupo para o começo da temporada ficando atento agora apenas á negócios de ocasião ou carências pontuais a serem identificadas ao longo da competição, o que nos remete aos próximos pontos.

“O grupo fechado”: a lateral-direita

Para a lateral-direita, o Inter parece apostar todas as fichas em Zeca, já que Bruno aparentemente chega para a suplência. No Santos, em seu melhor momento, o mesmo jamais se destacou pela consistência ou solidez defensiva, e sim pelo apoio qualificado e por atuar quase como um armador pelo corredor: praticamente o ala direito do esquema tático 3-5-2.

3-5-2 que por sinal jamais foi usado por Odair, e que nada indica estar sendo considerado para a Libertadores. Libertadores, cujas equipes, por sinal, jogam fechados, pressionando o jogador com a posse de bola e saindo em contra-ataque com atacantes de lado às costas dos laterais, com extensivos cruzamentos para a área.

Zeca já deu demonstrativos de não ser confiável defensivamente além de apresentar debilidades no jogo aéreo, tendo deixado de cabelo em pé o torcedor colorado no 2º turno, ao ponto de perder a posição pro esforçado Fabiano.

Vejo esta aposta de altíssimo risco pelas características do jogador e da competição continental, além de um erro na montagem do plantel. Espero estar errado.

“O grupo fechado”: a camisa 9

Nos esboços inicias do time pra 2019, o camisa 9 é Pottker. Até os quero-queros do Beira-Rio sabem que não vai dar certo.

Alias, é digno de nota a insistência até ao ponto de ser rotulada de teimosia burra essas inúmeras e infindáveis oportunidades dadas a um jogador que simplesmente não corresponde em campo.

Que Deus nos ajude caso as primeiras 4 partidas (Guerrero só pode jogar em abril) da Libertadores tenha Pottker como centroavante titular. Adoraria estar errado, mas se for este o caso, podemos dar adeus as chances de avançar no grupo da morte.

Como alternativas, Sobis, Trellez e Alvez… Ou seja, o Inter aposta todas suas fichas no peruano.

“O grupo fechado:” a zaga

Como bem sabe o coirmão, jogar competições com apenas dois zagueiros confiáveis acaba por eventualmente dar chances aos suplentes, o que pode ser trágico cômico.

Émerson Santos até pode ser um dos suplentes, mas juntamente com Klaus são insuficientes para repor a ausências dos titulares sem grande prejuízo técnico.

É necessário reforçar o setor, pois há um abismo entre Cuesta/Moledo e os demais, e este é um ponto que exige muita atenção pois invariavelmente será necessário recorrer ao grupo, e especialmente no setor defensivo, qualquer descuido tende a ser fatal.

Receitas de Licenciamento

Alguém consegue explicar porque o Inter tem receitas de licenciamento (registradas em seu balancete de 2017) inferior a R$ 3 milhões ao passo que o coirmão tem faturamento mais de 5x superior?

As diferenças são gritantes, não apenas nos números, mas na quantidade de produtos e ofertas disponíveis…

Eis um exemplo do que um departamento de marketing criativo pode fazer: Maquina Tricolor

Mais sobre receitas

De acordo com a Pluri, eis as fontes de receita dos principais clubes em 2017; sem a receita de vendas vultuosas como nos anos anteriores, Inter cada vez mais dependente dos direitos televisivos, o que certamente é extremamente preocupante.

 

@Davi_Inter_BV

Avatar

Author: Davi

Share This Post On