Os embates e a balança | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Os embates e a balança

O jogo contra o Palmeiras, primeiro embate do 2º turno contra as equipes consideradas mais fortes do Brasileirão e adversários diretos na luta pelas primeiras posições trouxe mais dúvidas do que certezas ao imaginário colorado.

Alguns amigos consideram o jogo um triste choque de realidade… Outros, mais ponderados, acreditam que a equipe vai oscilar, e o ponto conquistado, se não o resultado desejado, ao menos não deixa o rival se aproximar e mantém a invencibilidade dos últimos 6 jogos.

A verdade é que o Palmeiras, mesmo ressentido da ausência de jogadores importantes (por opção de preservar alguns jogadores ou ainda por suspensão) acabou por impor muitas dificuldades ao colorado, sobretudo no 1º tempo.

O sentimento após os primeiros 45 minutos de jogo é que o placar em zero tinha saído barato, haja visto o domínio territorial e as chances criadas pela equipe palmeirense. Apesar de uma melhora no segundo tempo, salvo lances pontuais como um chance de Cuesta em escanteio, o colorado pouco criou e quase não teve chances agudas de sair com um resultado melhor.

Muito das dificuldades são fruto de um congestionamento do meio-de-campo por Felipão, onde o Palmeiras apresentava superioridade numérica, e ao recuperar a bola, saia em velocidade contra um time que muitas vezes estava exposto, e que se não tomou gols, foi pela fase e atuação magnífica de Moledo e Cuesta.

Patrick e Nico Lopez foram muito bem vigiados, e raramente conseguiram vantagem pessoal sob a ferrenha marcação adversária. Jonathan Alvez e Rossi ficaram encaixotados entre as linhas palmeirenses, que constantemente pressionavam os jogadores colorados com a bola, na maioria das vezes com dobra de marcação…

De certa forma, o Inter provou um pouco do seu veneno, pois este é o modelo que impõe geralmente ao seus adversários: marcação vigorosa, pressão no jogador com bola e transição direta, agressiva, com jogo pouco cadenciado… O Inter não conseguiu efetivamente sair da armadilha proposta pelo adversário, e colocado o contexto do jogo, o ponto conquistado não foi mal resultado.

Digno de nota a péssima atuação de Zeca, que literalmente teve pesadelos com Hyoran pelo seu lado, e que além de tudo foi um desastre também com a bola no pé, não dando continuidade a maioria das jogadas ofensivas no seu lado…

Patrick também teve uma queda de rendimento se comparado com as atuações recentes, e nossos atacantes, seja Jonathan Alvez ou Brenner pouco fizeram… Com a suspensão de Guerrero, o possível retorno de Damião surge como uma alternativa para um setor cujas alternativas ainda não convenceram.

O maior ponto de interrogação é se este desempenho de domingo será a tônica ou um ponto fora da curva quando analisado o desempenho contra o G4 (Palmeiras, São Paulo, Flamengo e Grêmio)… O Cruzeiro, pela sua qualidade, poderia fazer parte desta lista, mas com as atenções divididas entre Copa do Brasil e Libertadores, parece neste momento estar priorizando as competições de mata-mata.

O histórico colorado contra as equipes acima no momento aponta zero vitórias. Fizemos 1 de 6 pontos contra o Palmeiras, 1 de 3 contra Grêmio e São Paulo, e 0 de 3 contra Flamengo…. Todos estes confrontos serão no Beira-Rio, sendo Flamengo e Grêmio na sequencia, separados apenas 4 dias entre eles (05 e 09/09)

Será necessário melhorar o desempenho, evitar jogar com a camisa igual ao do adversário (#CornetaModeOn) e agredir muito mais… As equipes adversárias devem vir fechadas, em um modelo de jogo muito similar ao proposto pelo Palmeiras, onde historicamente temos enfrentado dificuldades quando temos que assumir o papel propositivo ao invés do reativo. Encontrar alternativas é uma das missões do Odair se o Inter realmente quer lutar pelo título.

Antes disso, um legítimo jogo carne-de-pescoço contra o Cruzeiro, em Minas, que deve vir com time titular, uma vez que o jogo contra o Flamengo é hoje, e o confronto pelas semi-finais da Copa do Brasil apenas no dia 12. Um outro jogo de 6 pontos, que será fundamental somar pontos para não desgarrar do São Paulo, para além de permitir a aproximação de Flamengo e demais rivais.

O embate contra os rivais diretos será o fiel da balança. Eis a grande dúvida, para que lado a balança ira pender. Fica o desafio.

Antes disso, tudo é Cruzeiro…

@Davi_Inter_BV

Author: Davi

Share This Post On