Enigma | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Enigma

Talvez contrariando muitos, e no que considero uma opinião impopular, creio que os problemas do Inter começam ou originam em boa parte ao sistema defensivo colorado. Explico…

A defesa do Inter me parece nada menos do que supervalorizada, em grande parte pela boa qualidade técnica da dupla zaga. Entretanto este mesmo sistema defensivo é vazado em praticamente todos os jogos, sendo que nos últimos 20 jogos teve apenas 4 clean sheets, e ai incluem-se jogos do Gauchão (são 14 jogos do BR18 após o Grenal e 6 do Gauchão, sendo os 4 jogos onde não levou gol, na ordem: América-MG, Fluminense, São Luiz e Brasil de Pelotas).

Se um time toma gol em praticamente todos os jogos, ou melhor, sua defesa não é vazada apenas 1 em cada 5 jogos, é no mínimo de se contestar… E é bom ter em mente que a sequência acima foi aquela em que enfrentou-se boa parte dos times da tabela de baixa no Brasileirão, e com maioria dos jogos em casa.

A origem, ou no mínimo parte deste problema é relacionado ao fato que o Inter não tem laterais confiáveis defensivamente, e sim alas com grande potencial ofensivo. Para compensar, Odair escala 3 volantes, o que desequilibra o sistema ofensivo que tem imensas dificuldades em criar e romper linhas adversárias.

Em retrospectiva, a formação com 3 volantes foi a fórmula que deu sucesso na arrancada do BR18 no melhor momento de Patrick. Pelo rendimento atual, e pela falta de opções no elenco, temos apenas 2 volantes confiáveis: Dourado e Edenilson. Odair insiste na fórmula entretanto, que se mostra desgastada.

O Inter também não tem articuladores ou atletas que pensam o jogo, sendo D´ale o único com qualidade e características para a função; soma-se isso a sua idade avançada e é fácil perceber que temos um preocupante déficit de opções no elenco.

Outra variável nesta equação é o fato que Odair não dá rodagem pra base ou testa outras formatações; cada vez mais refém dos habituais sistemas 4-2-3-1 ou 4-1-4-1), ira ter dificuldades ao longo do ano se não se reinventar.

Em defesa do Papito ressalta-se a falta de opções de qualidade no elenco, sobretudo articulação e volantes com características de romper as linhas adversárias, seja através de infiltrações ou passes de ruptura.

O resultado é que mesmo com um trabalho longo, de mais de um ano de continuidade, é visível que ainda não foi encontrado soluções para resolver os problemas crônicos deste time que tanto já se falou aqui no blog.

Particularmente, gostaria de ver pelo menos um ou dois jogos de teste da equipe formatada no 3-5-2, liberando Iago e Zeca das funções que hoje são majoritariamente defensivas, não apenas encorpando o meio-de-campo, como potencializando os pontos fortes de ambos. Ou ainda formatar a equipe com dois articuladores de fato (Sarrafiore podendo se juntar a Dale ou Nico centralizado) ou quem sabe um 4-3-3, com Pedro fazendo as vezes de camisa 9 na ausência de Guerrero.

O regional está ai justamente para experimentar alternativas em jogos de menor exigência, pois se há uma certeza sobre o Gauchão é que, se ele não pode ser definitivo para atestar a qualidade superior de alguns jogadores, certamente serve para descartar aqueles que mesmo assim apresentam dificuldades contra equipes do interior.

Se não reencontrar o equilíbrio e solucionar os problemas tanto ofensivos (dificuldade em fazer gols e articulação) quanto defensivos (defesa constantemente sendo vazada), Odair terá um ano de muitas pressão, com potencial de demissão prematura se for eliminado precocemente na Libertadores ou for mal no regional.

Assim, o Inter encontra-se em um ponto crucial em relação as suas pretensões atuais, onde impõe-se a necessidade imperativa de que seja ampliado o repertório do time e solucionado as carências cada vez mais expostas, sob o risco de mais um ano de ostracismo…

“Decifra-me ou te devoro”…

@Davi_Inter_BV

Avatar

Author: Davi

Share This Post On