Copa Dia 6 | BLOG VERMELHO : Sport Club Internacional

Copa Dia 6

“Para, mano! Eu não quero que termine!!!”

Eu quero morar numa copa do mundo! Se eu pudesse escolher um tempo para morar seria o tempo de uma copa do mundo de futebol. São dias que nos trazem uma sensação mágica!

Eu gosto de grandes eventos esportivos. Acompanho tudo que posso! Mas, a copa do mundo é especial.

A gente esquece que é roubado, esquece que é enganado… Porque, se for parar pra pensar, a gente é roubado até enquanto senta no vaso. Assim, é muito bacana poder congraçar com as pessoas em geral, especialmente com os familiares, quando possível, num assunto tão ameno quanto o esporte.

Minha primeira lembrança foi a copa de 1986 (então com 6 anos) ganhando uma bandeira do Brasil logo depois de ser eliminado do torneio. Na copa de 1990 lembro de estar ouvindo meu pai (colorado) mandando o Lazaroni colocar o Renato em campo logo depois do gol do Caniggia. Já a copa de 1994 em cada jogo sofrido… até ver pela primeira vez o time campeão. Uma tia minha chorando copiosamente durante a final do torneio feito na França em 1998 a cada gol dos azuis… Em 2002 a redenção: o melhor jogo que vi de uma seleção brasileira, vibrante a partida toda contra uma forte Alemanha… e a gente sabe o que acontece quando não se joga com garra contra os alemães. Eu vi o Julio Cesar estragar um trabalho e a culpa cair toda sobre o Felipe Melo em 2010… E por aí vai. Horas e mais horas de lembranças e assuntos.

Vocês lembram o que estavam fazendo em momentos chave da competição?

Eu acredito que o elemento que torna a copa do mundo tão interessante é por se tratar de um torneio muito curto onde pouco mais de meia dúzia de jogos colocam o nome dos melhores para sempre como referência na história do esporte, ao passo que uma leve mosqueada tudo termina em 3 jogos apenas. E nesse fio de navalha a maioria deve procurar seu melhor desempenho para conseguir tornar seu nome relevante, pois, eles sabem que isso influencia o agora (com melhores contratos) e o futuro (não ser esquecido).

Que o diga a seleção de 1982, quando a fórmula de disputa ainda não era o chaveamento de hoje. Aquela seleção ter saído derrotada não fez mal apenas para nós, foi um atentado ao futebol. A partir daquele revés a defesa ganhou MUITO mais importância (obrigado por nada, Cerezo!). Depois daquele Brasil x Italia no Sarriá, a maioria dos times entram para não perder… e isso broxa é desanimador! Vejam como foi o último Portugal x França que não me deixa mentir: o melhor jogo até agora nessa copa.

SE Portugal x Espanha foi o melhor jogo, com certeza o melhor time foi a Islândia. Os homens da terra do gelo congelaram nossos vizinhos… Porque, pra mim, brasileiro que baba ovo de argentino e torce pro time de futebol castelhano nem gente é. É tipo “nóis torce pro Corinthia, tá ligado mano”? O único jogador de futebol Argentino pelo qual eu nutro alguma estima é o Batistuta por tantas partidas de videogame que me fez vencer no saudoso “Fifa 98” (Wooo Hooo! – Entendedores… Não Entendedores cliquem AQUI)

Mas, voltando ao ponto Copa de 1982, vejam o que ninguém menos que o badalado Pep Guardiola fala:

Talvez tenha faltado humildade para o time. Preparo emocional…. Eu com meus dois anos de idade não soube das histórias desse mundial senão aquelas contadas com o tempero do tempo. Mas, vendo o que ficou registrado tenho como certa uma coisa: jogavam MUITA bola!

Muito possivelmente pela capacidade de ser efetivo e ter plasticidade ao mesmo tempo, jogando para o ataque, é que os jogadores brasileiros passaram a ser tão valorizados. Mas não fugiram ao estilo brasileiro de jogo. O ataque? Não, nada disso: o contra-ataque. Assim como a consagrada seleção campeã em 1970, a maioria dos gols do time surgiram em jogadas de contra-ataque.

A história dessa seleção reforça uma coisa que a vida mostra todos os dias, pra vencer, não existe merecimento. Seja em qual esfera seja, o sucesso não vem necessariamente aos mais talentosos, aos mais inteligentes ou mais fortes… ele chega aos mais dedicados.

 

Cristian

Author: Cristian

Brasileiro! Não desiste nunca...

Share This Post On