A vida recomeça

Com maestria, Mário Quintana (o verdadeiro imortal) definiu que “bendito quem inventou o belo truque do calendário, pois o bom da segunda-feira, do dia 1º do mês e de cada ano novo é que nos dão a impressão de que a vida não continua, mas apenas recomeça…”.

E, convenhamos, para o futebol a cada novo ano é sim um novo recomeço. O que ficou para trás não necessariamente ainda servirá de subsídio para o que vem pela frente. Novas caras, novo técnico, novos jogadores e, em alusão o que eu disse por último aqui no finado 2019, novas perspectivas.

Mesmos as caras que seguem, algumas já manjadas na cabeça do torcedor, ainda assim devem ter suas novas perspectivas, como ganhar tudo aquilo que ficou pendente no passado, correr atrás daquela bola que não saiu para fora e virou gol do adversário, concentrar para acertar o último passe, melhorar a pontaria para fazer aquele gol e garantir as vitórias. É preciso sonhar – ter esperança, Edenilson, mas dentro de campo, é bem acordado que não se perde bolas bobas e se ganha os jogos…

Aliás, só devemos perseguir as vitórias. Esqueçam os empates. Vida que segue e bola para frente!

Eis, então, um novo recomeço na vida do Sport Club Internacional. E na minha também no Blog Vermelho. Confesso-lhes que pensei seriamente em encerrar minha carreira por aqui. Inclusive, de certo modo me despedi. Aqui e no nosso grupo de Colunistas no whatsapp. Cheguei a mencionar dias atrás que pensava em ne aposentar, afinal, o Inter cansa a cabeça do vivente. Mas a verdade é que, ao fim e ao cabo, dificilmente teria coragem de sair assim tão abruptamente, num momento importante aqui do BV que busca retomar seu protagonismo um tanto combalido pela facilidade das informações mastigadas nas redes sociais. Ora, qualquer um virou setorista do Inter de uns tempos para cá.

Enfim, para alegria de alguns, tristeza de outros e desespero de muitos, digo ao povo que fico.

E esse é o contexto nosso para com o Colorado. Chove, venta, faz sol… e cá estamos nós aqui divagando, reclamando, sugerindo, impondo… para que o Internacional encha os nossos corações de esperança, dessas que trazem títulos e faixa no peito, que aumentam nossa população de quadros expostos na parede, que fazem o peito bater mais forte a cada “vamo Inter, vamo Inter, vamo, vamo meu Inter; vamos lutar até morrer, seremos campeões!”.

Ser Colorado não é uma opção, sugestão ou escolha. É uma imposição. É o coração que nos impõe. E esse coração louco tá sempre pronto para bater mais forte novamente, vivenciar novas vitórias, sufocar com algumas derrotas, mas é isso, somos Colorados, não há para onde fugir sem experimentar desse sentimento quase que 24h por dia.

Bendito o truque do calendário que nos permite este recomeço.

E que recomece mais uma história, para o Colorado das glórias, orgulho do Brasil.

Vamo Interrr….

Author: Bruno Costa

Share This Post On